Mindelo – Berço do “Movimento Cidade Saudável” em Cabo Verde

6
Dez

O 6º Encontro ISCTE BRINGS US TOGETHER teve lugar na cidade do Mindelo, depois de Pequim, Macau, Maputo, Rio de Janeiro e Lisboa. Associou-se a este encontro uma conferencia internacional intitulada de MINDELO CIDADE SAUDAVEL, Saúde e Turismo – um eixo para o desenvolvimento, uma parceria do ISCTE – IUL, da Assembleia e Câmara MunicipaL de S. Vicente, da Câmara de Comércio de Barlavento e a OMS Cabo Verde.

Para além de juntar profissionais que se graduaram no ISCTE, governantes, representantes da OMS, autarcas, eleitos municipais e nacionais, académicos, empresários, e outros representates da sociedade civil, Mindelo passou assim a simbolizar o berço do Movimento Cidade Saudável em Cabo Verde.

Videoconferência – Um instrumento de conexão interilhas

Através de uma parceria tecnológica especial com a CVT, a conferência reuniu altas personalidades politicas e académicas de outros países, com uma qualidade de comunicação jamais experimentada em Cabo Verde, encorajando a CCB a reforçar a sua aposta nesse instrumento de aproximação entre as ilhas e com o mundo.

Mais de 150 participantes,
10 Conferencistas,
48 Alumnis do ISCTE!

O Movimento foi criado na Europa, em 1988, pela OMS e assente na filosofia de que “a saúde é um estado de bem-estar total, físico, mental e social, e não a mera ausência de doença” (OMS 1946).

Não obstante a sua relevancia, o tema não está de todo explorado em Cabo Verde. Porém, a extraordinária adesão dos participantes revela o interesse, a pertinência e a importância da temática para Mindelo, mas significa igualmente um importante desafio de futuro para outras cidades do país.

“Mindelo Cidade Saudável” foi bastante concorrido, com a participação do Governo de Cabo Verde, nas pessoas da Ministra das Infraestruturas, do Ordenamento do Território e Habitação, do Ministro da Economia e Emprego e do Primeiro-Ministro, tendo este ultimo encerrado o evento. O Governo português esteve representado pelo Secretário de Estado de Saúde e por um representante do Ministro da Saúde.

Foram varias as intervenções que se destacaram no âmbito das “Políticas Públicas de Saúde”, do ’’Desenvolvimento de Cidades Saudáveis” e da “Saúde, Turismo e Bem-Estar”. Nesse quadro e com mesmo grau de interesse, foram lançadas várias provocações, desafiando o debate em torno da “vocação ou futuro para a ilha de São Vicente: se deverá continuar a ser uma simples cidade portuária ou posicionar-se para assumir definitivamente uma posição de destaque enquante cidade turística.” Segundo Jose Almada, moderador do tema, as forças vivas desta cidade-ilha e as suas autoridades devem assumir claramente o desafio e vestir a roupagem de uma cidade turistica moderna capaz de competir os lugares de referência no Atlântico Médio. Seguindo essa tese, nem o bunkering nem o transbordo do pescado farão de Mindelo uma cidade prospera, que o desenvolvimento centrado no porto, tido como a causa da ascensão mas também da queda de São Vicente, deve orientar-se num turismo sofisticado e de elevado valor agregado, procurando manter em alerta máxima a prevenção contra os flagelos sociais que não coadunam com o turismo de alto standart.