Grog com legislação publicada

Grog com legislação publicada
14
Fev

Relançamento do VAGROG

 VAGROG (Programa de Valorização do Grog) foi instituído pelo MDR ainda em 2007, mas teve seu efetivo desenvolvimento a partir de 2010, sob a orientação de uma equipa pluridisciplinar integrada pela CCB (coordenação), ADEI, ARFA, Associação dos Municípios de Santo Antão e Ministérios do Desenvolvimento Rural e do Turismo, Industria e Energia.

O operacionalização do plano de ação do VAGROG, com total suporte técnico e financeiro do SEBRAE, permitiu, ao longo dos anos seguintes, a realização de várias missões empresariais ao Brasil, para familiarização inloco do conhecimento técnico e prático sobre a produção da Cachaça, várias ações de formação em todos os Concelhos da ilha de Santo Antão, com resultados hoje visíveis em termos de equipamentos, modernização de equipamentos, melhoria das técnicas de  aproveitamento da matéria prima e processamento, controlo da produção e da qualidade.

A componente do VAGROG destinada à melhoria da qualidade sanitária e comercial do GROG, mas igualmente com forte incidência no ambiente, foi, desde o inicio do programa, submetida à coordenação da ARFA. Nessa sequência, e certamente com o regozijo dos cultivadores da cana de açúcar e dos produtores de grog de Santo Antão, São Nicolau e Santiago, são finalmente publicados os principais instrumentos legais que deverão permitir uma efetiva valorização do GROG de Cabo Verde, produzida artesanalmente em alambique de cobre, a partir da cana de açúcar.

A criação da Região Sanitária de Santo Antão (RSSA) e à ela associada, do Conselho Consultivo, demonstra e atribui especial responsabilidade ao setor privado e autoridades de Santo Antão, para marcar e fazer valer uma nova etapa na história da produção do grog de Cabo Verde.

O VAGROG que nos últimos dois anos enfrentou sérias dificuldades de ordem financeira para poder concluir a missão que lhe foi atribuída, tem agora novas esperanças, tendo já em preparação o seu plano para ser iniciado durante o 1º trimestre de 2015, com o devido envolvimento dos Municípios de Santo Antão, e dos Ministérios do Turismo, Investimentos e Desenvolvimento Empresarial e do Desenvolvimento Rural.

Cliqui aqui para aceder a legislação.