Assembleia Geral da CCB – Tributo Especial

14
Abr

A AGO da CCB realizou-se no dia 13 de abril, no Centro de Negócios de Mindelo, com uma participação significativa e ativa dos associados, incluindo representantes de todas as ilhas de barlavento.

A agenda da reunião previa e foi aprovada com 3 pontos, discussão e aprovação do (i) Relatório de Atividades de 2017 e (ii) Programa de Ação para 2018 e (iii) Lançamento do Cartão do Empresário.

O relatório e programa foram aprovados por unanimidade dos sócios presentes e representados.

Mereceu especial atenção dos associados a particularidade do “minuto” que foi dedicado pela Direção da CCB aos contribuintes-fundadores do edifício que, em 1996, viu nascer e desenvolver a primeira Câmara de Comércio a cimentar os pilares do desenvolvimento e crescimento económico, ancorado no setor privado cabo-verdiano. Um momento bem aplaudido por toda a Assembleia dos Associados, um TRIBUTO ESPECIAL em reconhecimento às empresas e aos homens de negócio que souberam edificar a casa que albergou o movimento associativo dos anos 90 e atual sede social da agremiação, relevando visão, empenhamento e espírito de sacrifício. 

A recente reabilitação do Centro de Negócio de Mindelo, antigas instalações da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Barlavento (ACIAB), depois da fusão e do exemplo ímpar de associativismo empresarial entre a ACIAB e a CCIASB, marca 22 anos de atividades em prol da promoção empresarial nacional. 

Os Títulos de Comparticipação emitidos em 1988 aos 35 sócios-contribuintes para a edificação da atual sede CCB, foram e continuarão fixados nas paredes da Sala de Conferencias da CCB, facto que traduz orgulho, respeito e sobretudo reconhecimento de toda a família CCB perante esse espírito associativo que então norteou uma obra de tamanha envergadura e importância para as gerações futuras.

Aguns dos projetos que mereceram destaque dos associados

Cartão do Empresário - Business Card (MASTERCARD)

O Cartão do Associado é uma iniciativa da CCB, lançado em 2002, com o objetivo de reforçar as relações de parceria entre os empresários que integram a sua rede e os demais atores económicos nacionais. 

Com efeito, o Cartão permitiu reforçar o espírito de adesão e sentimento de pertença dos associados, facilitando um conjunto de benefícios inerentes ao estatuto dos membros, na base de fortes parcerias estabelecidas com empresas bem posicionadas no país. 

Em consonância com o estudo de reposicionamento estratégico do setor privado nacional, realizado em 2017, a CCB decidiu apostar na conversão desse instrumento num Cartão do Empresário, atribuindo-lhe uma abrangência mais alargada, a nível nacional e além-fronteira, para além da sua requalificação, com características e vantagens próprias de um Cartão de Débito Corporativo.

Em 2017, embora o processo de procurement tenha sido concluído com sucesso, os resultados esperados não foram alcançados com esse parceiro. Assim, em janeiro de 2018, os promotores (Câmaras de Comércio de Barlavento e Sotavento) retomam as negociações, desta feita com o Banco Caboverdiano de Negócios (BCN)  tendo conseguido reação positiva imediata.

Conforme apresentação feita na AGO, pelo Administrador do BCN, Carlitos Fortes, o banco disponibiliza um Cartão de Débito da MASTERCARD que proporcionará tratamento diferenciado aos empresários associados às duas Câmaras, e que pode ser utilizado em vários estabelecimentos espalhados pelo  mundo, incluindo um pacote de seguros com diferentes coberturas. Um instrumento que facilitará compras online, viagens internacionais, para além de descontos no seio de um grupo alargado  de empresas.

A apresentação pública do Cartão de Débito Corporativo será feita em workhsops que serão realizados nas ilhas de S. Vicente, Sal e Santiago no mês de maio, com todas as informações concernentes. Nessa sequência, serão instalados nas Câmaras de Comércio balcões de atendimento especial para atender os associados na fase de inscrição.

Unidade de Mobilização de Recursos Financeiros (UMRF)

Trata-se de um mecanismo através do qual a CCB reforçará a sua sustentabilidade económica e financeira, procurará soluções de financiamento para projetos específicos de promoção e desenvolvimento do setor privado, podendo ser iniciativas que resultam de parcerias com organizações públicas e privadas, com associações e grupos empresariais, priorizando aqueles que se alinham com as estratégias do desenvolvimento económico e social de Cabo Verde. 

O projeto mereceu financiamento do Banco Mundial, e ja se encontro em montagem desde o dia 13 de abril, devendo permitir:

  1. Desenvolver o modelo operacional e de gestão da UMRF;
  2. Estudar e mapear o mercado internacional de fontes de financiamento, aquelas que melhor se adaptem ao ambiente político, económico, social e empresarial de Cabo Verde;
  3. Recomendar uma lista restrita de possíveis fontes de financiamento / parceiros, perfis de cada um, destacando as vantagens comparativas em relação à realidade de Cabo Verde;
  4. Definir estratégias de intervenção que se concentrem em acordos especiais público-privados, dependentes dos temas, e que permitam flexibilidade e proatividade na mobilização de recursos
  5. Desenvolver propostas específicas para a mobilização de recursos a serem submetidas a entidades selecionadas.

A UMRF funcionará no seio das Câmaras de Comércio de Barlavento e Sotavento, enquanto uma única equipa de especialistas, selecionados em conformidade com certos requisitos em termos de competências.  

Rede de Comunicação Interativa

É sabido que as telecomunicações constituem um dos setores chave para o desenvolvimento das pequenas economias insulares, no contexto da economia globalizada e da tendência prevalecente para a liberalização da economia internacional. As insuficiências nesse setor são fortemente penalizantes para Cabo Verde, que precisa, como condição para o desenvolvimento a longo prazo, romper o seu isolamento e a marginalização em relação às correntes principais da economia  internacional e, a nível interno, intentar para políticas de poupança a todos os níveis. 

A par dos ganhos e insucessos que o país vem experimentando com as políticas públicas de conectividade das ilhas, sobretudo na esfera dos transportes aéreo e marítimo, a CCB procura contribuir na minimização dos efeitos nefastos que a “descontinuidade territorial” produz na competitividade das empresas nacionais. 

O projeto batizado de “One Conference” é mais uma das iniciativas da CCB, financiadas pelo Banco Mundial, através do qual a organização procura reforçar a sua posição de parceiro, facilitador e dinamizador da integração territorial. Os custos elevados praticados em Cabo Verde, em relação à mobilidade de pessoas e comunicação, somam pontuações elevadas e/ou proibitivas nos orçamentos das PMEs cabo-verdianas. 

One Conference será desenvolvido com a CV MULTIMÉDIA, a vencedora do concurso restrito gerenciado pela Uinidade de Gestão de Projetos Especiais do Ministério das FInanças, e visa a estruturação de um sistema de comunicação interativa que ligará todas ilhas de Barlavento (e também de Sotavento), baseada na solução “end to end”, com internet dedicada no Centro-Mindelo, (e Centro-Praia) equivalente à 10 Mbps, e nas ilhas de S. Antão, S. Nicolau, Sal e Boa Vista, de 4 Mbps (igual para as restantes ilhas de sotavento). 

A rede de videoconferência profissional permitirá: 

  • Colaboração integrada de toda a equipa distribuída pelas 5 ilhas, com soluções de vídeo, voz e partilha de conteúdos; 
  • Igual qualidade no atendimento aos operadores económicos seja no licenciamento comercial, industrial, e de certificado de origem, na intermediação ou assistência personalizada; 
  • Formação profissional de curta duração, ligando ao mesmo tempo duas ou mais ilhas em torno de uma mesma ação; 
  • Organização de reuniões técnicas e encontros de negócio, para satisfazer  interesses e demandas de empresários locais e nacionais.

Plataforma de Gestão Integrada de Workflows

Trata-se de mais uma iniciativa da CCB financiada pelo Banco Mundial e ja em fase de instalação. Uma solução integrada de gestão de conteúdos empresariais, totalmente suportada em tecnologia web, e que responde de forma transversal aos desafios das organizações, qualquer que seja a sua dimensão e sector de atividade. 

A plataforma disponibiliza uma camada de abstração para a modelação e implementação de workflows estruturados, reduzindo significativamente a necessidade de conhecimentos técnicos por parte dos colaboradores da CCB. 

Para além da gestão dos processos internos, o sistema permitirá a integração de 3 sistemas externos, nomeadamente, o portal www.becv.org, o aplicativo de gestão financeira da Primavera e o portal “Porton di Nos Ilha”, sendo este ultimo o suporte do licenciamento industrial e comercial. 

Na lista dos principais benefícios esperados desse projeto, destacam-se: 

  • Aumento de produtividade 
  • Redução de custos de operação 
  • Aumento de competitividade 
  • Facilidade no acesso à informação 
  • Melhoria da qualidade de serviços